quinta-feira, 4 de setembro de 2014

sobre os ritmos de desenvolvimento

Bom dia,

Andava há algum tempo para vir partilhar este post convosco - a altura certa.
Ainda não sou mãe e, na verdade, tenho-me tentado "preparar" (eu sei, nunca estamos "preparados") para lidar com eventuais dificuldades de desenvolvimento, apesar disso não sei se serei uma mãe ansiosa acerca das várias etapas, com o "já faz" versus o "ainda não faz".

Gostava de conseguir ser como esta mãe que não esconde angústias mas transmite muito eficazmente o amor pelos filhos tal-como-são, um saber viver devagar o dia-a-dia .

Como diz uma comentadora do post,  porque «Cada um tem o seu ritmo e os nossos filhos apenas são extraordinários na medida em que são nossos.».

boa leitura,
Cipreste

2 comentários:

Joana Mendonca disse...

Também tento seguir-me ao máximo pelo ritmo de cada uma das minhas filhas. Mas a verdade é que por vezes a sociedade nos dá alguma pressão e stress pelo que os nossos filhos fazem ou não. A minha filha mais velha sentou-se tarde, gatinhou tarde e ando tardissimo. As pessoas mesmo na rua diziam que ela era preguiçosa. Eu costumava responder que ela era preguiçosa mas muito inteligente :)

Cipreste disse...

gosto muito desse resposta, Joana!

beijinhos!