quinta-feira, 16 de outubro de 2014

das milhentas coisas que me amedrontam

«Becoming a family
It may take months or years for an older child and his family to fully adjust to one another. Many parents report that they acted as if they loved their child long before they felt that love. Margolese says, “You have to get to know each other and adjust to personalities, tastes, and routines. It is a huge adjustment for both sides, and you should expect some bumps. I think some transitions are difficult because parents are not realistic about what to expect. No transition will be free of problems.»
(lido ali)


Dentro daquilo que não sabemos sobre aquilo em que nos vamos meter, é isto que me assusta, este desconhecido que não tenho como conhecer até estar lá, até chegar a esse dia. E nada podemos fazer para antecipar este conhecimento. É uma das ansiedades que se associa á da espera: se todas as histórias de adopção implicam dificuldades, quais serão as que nos vão "calhar"?

Tentar não pensar nisto é como "chover sobre o molhado", não nos leva a lado algum e só serve para aumentar angústias. E assim temos de ir andando, enquanto não sabemos, de facto, em que estaremos metidos.
:)
Que venha daí, é a única resposta possível.

Cipreste

5 comentários:

Joana Mendonca disse...

essa para mim também foi uma parte dificil. Porque nem me conseguia preparar bem, e eu, como sou "control freak" tenho a mania de que nos podemos preparar... E sabemos que de facto as coisas nunca são como esperamos... Desejo-te uma espera pequenina :)

Anónimo disse...

acreditar no poder do amor e re-acreditar....
Abraço apertadinho

Anónimo disse...

Apenas um comentário quanto à citação em Inglês. Não é apenas na adopção de crianças mais velhas que se coloca a questão da adaptação e vinculação.

Pode acontecer - e acontece - mesmo com crianças pequeninas, quer da parte da criança quer dos pais.

Quanto ao resto, os medos estão sempre presentes.

Cristina

Anónimo disse...

Sim grandes verdades, mas o importante é prepararmo-nos sabendo que existem dificuldades seria mais difícil se ignorássemos e nos agarrásemos a visão romântica da coisa. Por vezes tento racionalizar a ideia de não criar expectativas para não ter desilusões e assim o que vier é positivo. Tb sou um pouco freak control, mas tento assumir que existem variantes da minha vida que nada posso fazer. Ana

Anónimo disse...

Li isto no livro a aventura da adopção e achei que tinha tudo a ver:" acho que os pais têm de se preparar para o pior - esperar o melhor, mas preparar-se para o pior. Na maior parte das vezes, não vão ter de se preocupar com o cenário mais pessimista" Ana