quinta-feira, 8 de maio de 2014

Dias "não"

Há dias em que a endometriose toma conta de nós. São os dias de calibre “não”. Apetece dizer “não” a tudo e ficar debaixo das mantas.
Tenho noção de que não sou um caso extremo, embora a minha indicação terapêutica seja a histerectomia total, não posso, nem de longe, queixar-me ao pé de determinadas mulheres a quem a endometriose roubou quase a autonomia. Mas, neste momento, sinto-me um bocado sequestrada pela porcaria da doença.
Comecei o ano no rescaldo de 2 FIVs mal sucedidas e parti para lista de espera para histerectomia. O médico deu-me uma expectativa de que esperaria cerca de 1 mês e meio a 2 meses, já lá vão 4 meses e a contar... No início, cuidei de mim, alimentação o mais saudável possível, muitas caminhadas, etc. Começaram as hemorragias, mesmo com pílula contínua, e tudo descambou em Fevereiro. Nunca mais fui a mesma. O médico disse-me para não me preocupar porque estava como "prioritária" e disse-me que é mesmo importante que eu faça a pílula. Só "descansei" desta instabilidade toda umas semanitas em Março em que isto andou calmo, de resto, tem sido um contínuo de hemorragias e expectativa (as dores são intermitentes – hoje: check!).
Não tomo determinados compromissos profissionais, tenho gente à minha espera, a quem já tinha prometido estar disponível em Maio e a quem agora só consigo encolher os ombros e ficar envergonhada por não estar a cumprir com elas :(
Enfim, uma situação em que ninguém tem culpa, mas em que muitas pessoas são afectadas.
O meu corpo já só é um meio de chegar às pessoas. Não tenho gosto em arranjar-me, tenho fumado uns cigarros, ou tenho noites ocupadas com sonhos mirabolantes ou pesadelos ou então simplesmente não durmo.
Vou para o trabalho em modo zombie e não sei o que dizer ao meu chefe quando me pede para começar determinados serviços com determinados clientes, serviços esses que não sei se terei de interromper... ou não.

Não me apetece sair, fico à espera de um telefonema, de um postal...

Acresce a esta expectativa, em nada pequena, a da visita domiciliária pela equipa de adopções. Neste momento, o nosso processo já passou 2 meses do prazo legal para nos darem o certificado. O que é que uma pessoa vai fazer? Insistir com eles? Depois pedem imensas desculpas, são muito simpáticos e dizem que nada fica para trás, que a nossa “vez” na lista conta a partir da entrega dos papéis, etc, etc. Uma pessoa vai incompatibilizar-se com os seus maiores aliados neste processo? Não me parece. Resta-nos esperar “pacientemente”. Só não gosto de pensar que, com tanta "publicidade" que fazem às crianças mais velhas que ninguém quer adoptar (mas eu quero!), que não esteja para aí alguém à minha espera e nós deste lado também à espera...

O Verão aí à porta e eu com tantas coisas por começar e sem nada acabado :( e, tantas vezes, a evitar olhar-me ao espelho. Sei que disfarço bem, que "mesmo assim" faço muitas coisas, mas esta não sou eu - eu inteira. Enfim, a vida de uma pessoa com endometriose.
Resta-me dar-me espaço para sentir o desalento que estou a sentir para depois conseguir procurar a alegria que existe dentro de mim. Rodear-me dos que são reais na minha vida, aqueles que gostam da minha companhia até em dias "não". 
Resta-me, enfim, libertar um pouco da minha angústia neste desabafo. Falar ajuda e é isso que vim aqui fazer.
Bom dia,

Cipreste

5 comentários:

Anónimo disse...

e eu aqui contigo.
chaparro

Erica disse...

Coisas que eu aprendi:
Tens que ser tu, primeiro, inteira, para estares pronta quando o teu dia chegar.
Se precisares de alguma coisa, nem q seja falar, diz!

Ps: Obrigada pelo comentário. Sabia que só certas pessoas perceberiam ;)

Joana disse...

Força! Estamos deste para ler os desabafos e partilhar as angústias dos dias menos bons. Também estou em dia não. Espero daqui a um mês estar a sentir-me melhor. Tenho uma cirurgia de remoção de um nódulo agendada para daqui a duas semanas. Será apenas um passo que sei que não resolve o problema mas adia a (eventualmente necessária) histerectomia. É impressão minha ou não há ninguém com certezas no que toca a endometriose?
Beijinhos

Mãe Sabichona disse...

Um beijinho*

(P.S. - Não sei se ajuda ou não mas costumo sofrer de insónias e agora há um valdispert mais potente, é um comprimido enorme, que me tem ajudado várias vezes. Sempre é natural, pode-se tomar à vontade e não custa tentar).

Cipreste disse...

Obrigada pelas vossas mensagens tão meigas e que fazem uma diferença. É muito gostoso receber assim o carinho de "estranhos".

Chaparro: <3

Erica, há que nos solidarizarmos com quem "sabe" nessas datas ;)

Joana, é verdade, ninguém tem certezas no que concerne a endometriose...
Que corra tudo bem contigo! ***

Mãe Sabichona, ando desde 6ªfeira para dar um salto à farmácia, acho que vou aceitar a tua sugestão ;)