sexta-feira, 18 de julho de 2014

não vale a pena tentar ser criativa no léxico, a palavra é: ironia

Conforme as tabelas normativas da vida civilizada, tenho excesso de peso. Ou seja, eu não devia ser como sou, ou qualquer coisa assim. Depois da cirurgia, o meu ventre continua como que dilatado e assumiu uma forma de barriga de grávida. Estive 7 semanas recolhida, consequentemente protegida, em casa.
Regressei ao trabalho 2ª-feira e já tardava o que hoje, finalmente, ouvi de uma cliente: "essa barriguinha é aquilo que eu estou a pensar?" (seguido de um sorriso rasgado).

Vai ao encontro do comentário que deixei neste post da Mãe Sabichona.

adenda a este post: o cliente seguinte pergunta como estou, faz sentido a pergunta uma vez que sabe que estive ausente, alguém lhe disse que eu estivera "de atestado", e remata com "esteve de licença de maternidade?" :/


Cipreste

8 comentários:

Marta FG disse...

Como te compreendo! Eu, que muito passei nestas 4 décadas com muitas dores por causa da endometriose, SOP, laparoscopia, 3 inseminações, um curto positivo além de todas as frustrações associadas. Mas a vida continua...Força amiga (virtual)!

Mãe Sabichona disse...

Caramba, tantas inconveniências :/ Vai valendo o sentido de humor.

Cegonha disse...

Também regressei ao trabalho na segunda-feira e ouvi as mesmas graçolas.
Haja paciÊncia.


https://www.facebook.com/cegonhaprocurase?ref=hl

Cipreste disse...

enfim :P já me ri com isto

p.s. Marta FG, não bastava a endo, tinhas de ter SOP tb? :( bolas
força aí ;)

Smurfina disse...

Não é fácil.. Confesso que tive vontade de comentar o post anterior, mas não sabia o que dizer..
Por um lado compreendo as outras pessoas, elas não sabem o que se passa e não dizem essas coisas por mal. No entanto, imagino que não seja nada fácil de ouvir...
Mas temos de olhar para a frente!
Tem de responder desvalorizando a situação, diga que está apenas com um quilitos a mais e pronto ;)
Força! E boa sorte com a adoção =)
Beijinho grande*

Carla disse...

Pois...
esta é talvez a parte pior com que temos que aprender a lidar, ou a ouvir sem deixar que magoe.

Eu desde que faço a pilula e com os tratamentos engordei e ostento agora uma barriguinha bem saliente, que teima em não me largar. Como sempre fui magrinha nem imaginas os comentários que já ouvi sobre a minha "linda barriguinha de grávida"!

Enfim há que saber ouvir e engolir!

Anónimo disse...

Olá,

A perspectiva do outro lado: já me vi em situações em que fiquei sem saber o que fazer. Por um lado, ignorar uma gravidez não me parecia bem; por outro lado, a dúvida 'será mesmo barriga de grávida?'.

Cristina

Cipreste disse...

Há dias para tudo, nuns dias respondemos a sorrir, noutros ficamos irritados e noutros, ainda, ficamos magoados :)

Da mesma forma que a outra pessoa o faz sem intenção de maldade tb "nós" temos direito às várias reacções. É chato e causa mau-estar a todos se a reacção não for a melhor.

Ainda acredito que a melhor coisa, em caso de dúvida, é não comentar. Prefiro pensar que, se não tenho a certeza e não estou informada da gravidez, é porque não sou tão próxima da pessoa que deva estar informada, pelo que esta não deve ficar ofendida pela minha omissão das congratulações :)
Uma grávida pode seguir caminho magoada porque a sua gravidez não foi comentada, mas continua grávida - coisa boa.
Uma não-grávida segue caminho acabada de ser lembrada disso mesmo, que não está grávida - coisa que magoa; e acresce a "dica" de que está mais gordinha :) não que esta segunda parte me chateie.

enfim, o que eu quero que fique é que eu sei que a intenção conta e tb nós temos de saber filtrar. Não quero, com o que disse acima, deixar uma espécie de "regras inalienáveis sobre como actuar" :)