quarta-feira, 30 de julho de 2014

Não é outra forma de discriminar pela cor da pele?

O sonhar-se com uma família colorida parece-me ser uma motivação na adopção, no mínimo, fútil.

Um filho escolhe-se pela cor da pele? Desejar-se especificamente um filho com cor de pele diferente da nossa não será o equivalente a dizer-se que se quer um filho com a cor de pele exacta à nossa? Não é outra forma de discriminar pela cor da pele?

Custa-me aperceber que algumas pessoas não estejam disponíveis para receber uma criança que tenha um aspecto físico diferente do seu, mas consigo compreender que essas pessoas tenham limitações familiares ou sociais que as levam a tal opção. Reconheço-lhes o acto de responsabilidade ao assumir que não se sentem preparadas para tal e, apesar de não deixar de ser uma forma de discriminação, não me passa pela cabeça julgar que, em todos os casos, o seja por racismo.
Por outro lado, uma pessoa que se candidata à adopção tendo em vista receber, especificamente, uma criança fisicamente diferente de si, parece-me estar equivocada quanto ao cerne do acto de adoptar, estando mais a pensar no lado estético da sua família.

Adoptar crianças com aspecto físico que indique claramente que as suas origens são diferentes das dos pais faz acrescer ao facto “ter-se sido adoptado” questões de discriminação, ou seja, não é propriamente uma festa colorida. Atenção que não digo, com isto, que as crianças devem ser adoptadas por pessoas com o mesmo aspecto físico com o seu. Digo apenas que há assuntos que me parecem carecer de um pouco de mais parcimónia.
Enfim, talvez seja só eu que hoje já dei de caras com dois lugares onde as pessoas apregoavam o sonho da família colorida e dei por mim um bocado indignada. Caramba, uma família é uma família independentemente dos membros que a compoem, uma família acontece, uma família não é um ramalhete para compor a gosto conforme uma montra. Pouco mais sei dizer sobre isto sem entrar por caminhos ajuizadores e não quero isso.

Cipreste

3 comentários:

Mãe Sabichona disse...

Concordo plenamente com essa romantização fútil, enquanto forma de, através dos fikhos adoptados, os pais se sentirem mais especiais através da diferença. Mas considero a possibilidade de quem o queira fazer precisamente por serem crianças menos desejadas de uma forma geral. Mas nao será certamente as que referes que acham muito giro uma familia colorida.

Anónimo disse...

Totalmente de acordo. Senti o mesmo desconforto quando visitei um blog, embora acredite que a pessoa em questão queira apenas transmitir a ideia de que quer um filho, seja de que cor for.
Caso extremo, foi um que surgiu num forum em que alguém dizia que queria adoptar uma menina da China e um menino de África (ou ao contrário, dá no mesmo). Tive que resistir para não lhe sugerir a secção de Nenucos de qualquer loja de brinquedos.

Cristina

Cipreste disse...

obrigada pelas vossas respostas, a pergunta que coloquei no título do post era sincera, pois às vezes vejo coisas que me parecem tão estapafúrdias que eu própria já nem sei se sou eu que estou a "implicar"... ;)

beijinhos a ambas