quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

ai ca nervos

Sigo esta mãe desde muito antes da chegada dos meninos. Uma vez inclusive traduzi um post seu.

E agora ela tinha de ir tocar no assunto. Argh.
Na consulta de pediatria do ano passado, o pediatra, nosso amigo, disse que a Magnólia iria menstruar nos 12 meses seguintes. Aliás, disse-o a ela. Apeteceu-me colar-lhe a boca com fita-cola. Raio de coisa para se dizer à miúda, pá! Não estou preparada para isto.

Ok, ok. Não penso assim. Ele fez bem, e fê-lo bem. Apenas, acontece que… eu não estou preparada para isto. Pronto, já o disse. Não sinto maturidade para enfrentar a menarca da minha filha. Grande palavrão, hein? Mas é assim que se chama a primeira menstruação de uma mulher. Acabei de escrever “mulher” pensando na minha filha. Oh-meu-deus.

Estão a ver o meu nível de preparação? Pois.

Mas não pensem que estou sozinha nesta falta de preparação. Há duas semanas, a Magnólia queixou-se de dores musculares no baixo-ventre durante dois dias. Ao segundo dia, já eles se tinham deitado e disse ao Chaparro que era capaz de estar aí a menarca dela e ele mandou-me calar. Assim mesmo: mandou-me calar(!). O Chaparro nunca me manda calar. Disse-me “Cala-te” (como é que é?!) “Isso dá-me vontade de chorar” (disse, já com os olhitos pequeninos e brilhantes) e rematou “ela é muito pequenina, é a minha menina”. Haha, ela já ultrapassou a minha mãe em altura, já cresceu uns 12 cm desde que está connosco. A nossa menina já não é pequenina.

Ai… é, é! Escrevo cá com cada parvoíce. Pfff.

Estão, finalmente, a ver o meu nível de não preparação para isto? Pois.

Ontem, numa conversa com ela, voltei a tocar no assunto “porque um dia destes vem-te o período” blábláblá.
Acho que ela encara isto com naturalidade, nem sequer é pessoa de stressar com as coisas. A mãe é que…

Faltam-me coisas.
Falta-me um livro: alguém aí desse lado me recomenda um livro sobre o assunto para lhe oferecer e ler com ela?
Já comprei duas bolsinhas para lhe dar nesse fatídico dia. Uma mais pequenina onde caiba um penso higiénico e um toalhete (daqueles embalados individualmente), para ter na sua malinha, e outra bolsinha um pouco maior para ter com reforços no cacifo da escola.
Mas não comprei pensos porque… ela é... muito pequenina, entendem?
Argh.
Quando me veio o período usei um penso da minha mãe e da minha irmã - não havia distinções lá em casa, estava tudo no mesmo armário da casa de banho, eram da marca Modess (alguém aí se lembra daqueles pensos-almofada?). Eu não tenho pensos porque, enfim, já sabem, sou histerectomizada (com anexectomia bilateral). Que pensos devo comprar? Os que eu usava são grandes demais para ela, para as suas cuequinhas… ela é muito pequenina, é... um bebé pequenino – o meu bebé pequenino, percebem?


Ajudem esta pobre mãe.
Ajudem-me, por favor.











Cipreste

post-scriptum  agora mais a sério, quem vos fala daqui é uma mãe que sofreu muito (e sofrer não é eufemismo) por causa do período e... e... e nada, pensar na possibilidade da minha filha sofrer como eu sofri, enfim, deixa-me aflita, fico como o Chaparro, só me dá vontade de chorar. E eu sei que ela não tem os meus genes, mas uma em cada cinco mulheres sofre de endometriose e... oh, céus.

8 comentários:

Mãe Sabichona disse...

Vai correr bem :) Os pensos que recomendaria são os evax fina e segura, sem alas. Bastante absorventes e não fica estilo almofada para ela se sentir o mais "normal" e confortável possível. Mais para a frente, por questões de praias e afins poderá fazer sentido falar em tampões se ela mostrar abertura para tal. Lembro-me de ficar triste de estar na praia sem poder ir à agua e a mãe do meu afilhado que é mais velha 10 anos do que eu me ter ensinado quando estávamos no Algarve (só íamos uma semana por ano e calhou precisamente nessa semana). Ela despiu-se e mostrou-me e a naturalidade dela tornou a coisa mais fácil. Recordo que reagi bem à menarca, tinha doze anos (estava numa aula de aeróbica e pedi ajuda à professora porque não tinha nada comigo), sem histerias nem lamentos mas fiquei assustada com a quantidade de sangue no dia a seguir (tinha fluxos abundantes). Foi importante para mim a minha mãe dizer-me que era normal porque eu achava que não era. Nunca sofri de dores, quatro em cada 5 não têm endometriose e a tua filhota será uma delas ;)

Cipreste disse...

ai, mãe sabichona, obrigada
acreditas que precisava que alguém me dissesse "quatro em cada 5 não têm endometriose"?

tenho mesmo de me descentrar neste medo porque senão acabarei até por centrar um acontecimento da vida dela em mim e desviar a atenção dela, para além de complicar uma coisa que deve ser encarada com tranquilidade (só de escrever isto me apeteceu rir, pq a verdade é que me aflige :P )

obrigada***

Joana Mendonca disse...

Também estamos nessa... Comprei uns livros mas ainda nao nos atiramos a eles... Vou ver o que acho e mando-te... Se te serve de consolo, estou completamente impreparada para o acontecimento. Tambem voto no evax fina e seguro, embora eu use com alas :)

Olivia Batista disse...

É uma coisa natural.
Vão ver que não custa nada. Para já convém que ela saiba onde guardam os pensos, como se colocam, e essas coisas.
Depois vão agindo conforme for preciso! Eu fazia um bicho de sete cabeças... depois foi tudo tão simples! E ver que ela já votou este ano... ai como o tempo passa!!!!!!!!

patricia disse...

Agora até me sinto uma alien...

A minha filha apareceu-lhe a menstruação falatava 3 dias para fazer 11 anos (ou seja ainda com 10 anos), e foi tudo tudo muito pacifico, na 1ª vez.
Depois tivemos um ano complicado, com hemorragias enormes, e ciclos de 20 dias. Hoje tambem lidamos com as malfadadas cólicas. Mas tudo sem dramas!

Quando ela se sentiu preparada (lá para o verão dos 12 anos, já no 7º ano), introduzimos o uso dos tampões, para resolvermos o drama da praia!

Patricia

Cipreste disse...

Joana, envia, sim, por favor!

Olívia, o que faz mais o medo falar é a minha experiência com a endometriose :)


Patrícia, não é normal ter dores e fico em pânico só de imaginar a primeira cólica dela :/

quanto aos pensos higiénicos, fiz uma pesquisa e depois venho fazer um post sobre isso :P

patricia disse...

Eu sempre tive dores de morrer ate passar pelo parto, com a minha mãe passou se exatamente o mesmo. Mas apesar disso, a R. foi ao pediatra fez uma ecografia pelvica que indicou estar tudo normal.

patricia disse...

Eu sempre tive dores de morrer ate passar pelo parto, com a minha mãe passou se exatamente o mesmo. Mas apesar disso, a R. foi ao pediatra fez uma ecografia pelvica que indicou estar tudo normal.